Domingo na praça

Tem dias que é preciso sair…

Hoje eu fui para a praça.

E foram tantas as cenas de ver e lembrar,

Que uma atmosfera, por fim, se deixou resgistrar…

Quando o gesto primeiro ecapou pelas mãos,

Era um tipo de escrita de contorno e vazios,

E mirando o entorno pelo não racional,

Transfigurei traços tontos num cartão-postal.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s