As migalhas e os encantos de Pavlov

Publicado: 24/07/2012 em Diário poético

Das tuas migalhas eu fiz refeições

Com tuas migalhas eu me lambuzei

Como se fossem pérolas em concha

As protegi com o melhor de mim

Mas tuas migalhas se tornaram sombras

Joguei-lhes luz como quem varre o pó

– limpa daqui, esfrega de lá –

E assim sobraram bolhas de sabão.

Pronto. Acabou o sabão.

Acabou o sabão?

* * *

Sabe, num ninhozinho de sabiás, sabia-se que o saber só se associa com quem sabe assobiar…

Pavlov sabia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s