Devaneios respingados

Publicado: 14/02/2012 em Diário poético


Esqueça, desça! 

Não que cê não mereça…

É que o pingo já caiu do i, se desprendeu do-eu, e ainda saiu por si

Mas hesitante-mente…

Soube-se ainda

Que ele se despiu, e sem se despedir, ante tudo e todos

Gotejou-se tolo…

Assumiu-se antídoto

Na boca de quem? 

Foi bem na da serpente!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s