Que mais posso querer?

Publicado: 26/06/2011 em Fimes que marcaram

Além de ser jovem, saudável, ter um amor-parceiro, um trabalho vocacionado, uma boa família, uma casa aconchegante, numa bela cidade, que mais posso querer?!…

Uma outra forma colocar a pergunta seria : tendo já tudo isso, o que é que não quero?

A resposta não tarda: a estabilidade se encarrega de abrir a porta para um convidado que não é bem vindo: o tédio. E aí, um simples café pode começar tudo…

Ah, as paixões…  Esse é mais um filme desses que parecem histórias da vida real, sobre amantes que não podem  estar juntos porque são compromissados e têm que arranjar jeitos de se amar escondido.

Ao sair da sessão, observo uma rodinha de amigos conversando sobre o filme:

– O que fez ele notar ela, hein?

– E ela, como notou ele?

(Cabe uma notinha, além de os protagonistas não serem duas beldades – embora tampouco fossem feios – , no primeiro encontro, ele exercia uma profissão socialmente “invisível”: era garçom ).

 – Será que foi o olhar? Ou o sorriso?

– Ah, eles vêm juntos, não dá pra separar…

– Será que foi à primeira vista?

– Ah, são os opostos que se atraem! Ela era patricinha e do norte;  ele um trabalhador simples do sul… 

– Gente, não importa como nem porque começa, o que importa é que depois que começa, é quase impossível parar! Porque quando se afastam chega uma hora que a saudade rasga de novo e  vem uma fome do corpo, da voz, do jeito, do olhar, que atiça o anseio do até onde se pode gozar; carne habitada, o corpo inebria com suas texturas e odores próprios, irresistíveis! Pra sair dessa, meus amigos, só com um corte bem dado! 

– Nossa, vc já passou por isso? Rs…

–  “E o que mais posso dizer”? Rs…

             (Rs geral)

– Mudando de assunto, pessoal, vocêis acham que alcoolismo tem cura?

–  Que tal se a gente discutisse isso tomando uma breja?

(E assim o grupo se foi, mas parece que o assunto seguiria sendo o mesmo…)

Anúncios
comentários
  1. Jessica Pires disse:

    Rs… Faz tempo que não faço isso com os velhos amigos!!! Saudades!

    Toda essa proza me remeteu a um grande poeta brasileiro, nosso saudoso Renato Russo, acredito que o trecho a seguir de uma música de sua autoria, cai bem ao tema

    Quem me dera
    Ao menos uma vez
    Provar que quem tem mais
    Do que precisa ter
    Quase sempre se convence
    Que não tem o bastante
    Fala demais
    Por não ter nada a dizer.

    Quem me dera
    Ao menos uma vez
    Que o mais simples fosse visto
    Como o mais importante
    Mas nos deram espelhos
    E vimos um mundo doente.

    Beijos

  2. Seu Fan disse:

    Que mais posso querer?

    A (in) sustentável leveza do ser…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s